sábado,03 dezembro 2016
Cigarro eletrônico ajuda a parar de fumar?

Cigarro eletrônico ajuda a parar de fumar?

0

Definitivamente vivemos a era da eletrônica.  As antigas e românticas cartas manuscritas viraram “e-mail”, o comércio agora é “e-commerce”, os livros são “e-books” e até os cigarros podem ser  “e-cigarros” ou “e-cig”, como são também conhecidos os cigarros eletrônicos.

Como funciona o e-cigarro? Tem nicotina?
O e-cigarro é um dispositivo com o mesmo aspecto e cores do cigarro tradicional, visando uma simulação fidedigna do ato de fumar. Na sua extremidade pode até ter uma luzinha de LED que acende, como se estivesse queimando. No entanto, o produto inalado não é virtual. É bem real e sim, pode conter nicotina. O cigarro eletrônico possui, em seu corpo, um aparelho vaporizador que contém nicotina e um veículo líquido, que pode ser o propilenoglicol. Quando acionado, o líquido é evaporado e inalado junto com a nicotina. Há vários modelos. Alguns são descartáveis, outros reutilizáveis.

Quais os efeitos da nicotina no organismo?
A nicotina  é reconhecidamente a substância do cigarro que mais induz ao vício. Tem uma ação ultrarrápida: depois de inalada, em apenas 10 segundos atinge o sistema nervoso central e lá desencadeia seu efeito principal: libera neurotransmissores que induzem à sensação de prazer. Depois de duas horas, quando o nível no sangue destes neurotransmissores cai, vem o desconforto da “abstinência” e está no hora do próximo cigarro.

Uma vez que contém a nicotina, qual a vantagem do e-cigarro?
Quando queima, o tabaco tradicional libera aproximadamente 5000 substâncias potencialmente tóxicas. Destas, acredita-se que umas 60 podem ser cancerosas. O cigarro eletrônico não possui nenhuma destas  substâncias. Esta é uma vantagem. Além disso, o e-cigarro minimiza alguns outros efeitos deletérios do tabaco como mau hálito, tosse e diminuição do olfato e do paladar, por exemplo. No e-cigarro, outras substâncias podem ser acrescentadas à nicotina ou inaladas  de forma independente, como essências aromáticas de chocolate, morango ou menta, tentando fazer o cigarro eletrônico mais “gostoso” que o tradicional.

Quais as desvantagens dos cigarros eletrônicos?
Estudos realizados nos Estados Unidos com os cartuchos utilizados nos e-cigarros demonstraram que em muitos deles, de variadas marcas diferentes, havia substâncias não especificadas, potencialmente tóxicas ou cancerígenas e com concentrações duvidosas, que poderiam ser deletérias para a saúde das pessoas. Por esta razão, o FDA (Food and Drug Administration- órgão americano responsável pela fiscalização de alimentos e remédios) desaconselha e desencoraja o uso destes dispositivos.

E no Brasil? Os e-cigarros podem ser comercializados?
Não. A comercialização dos cigarros eletrônicos está proibida aqui no Brasil pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A justificativa é que não há indícios suficientes que atestem a segurança destes aparelhos e de seus produtos inalados para a saúde das pessoas. No entanto, muitos brasileiros os compram no exterior e os utilizam aqui.

O e-cigarro ajuda a parar de fumar?
Até o momento, não há nenhuma evidência científica comprovando que o cigarro eletrônico ajude pessoas a parar de fumar. Mais estudos sérios, metodologicamente corretos precisam ser conduzidos para se ter uma posição melhor a este respeito.

É fácil reclamar dos fumantes, mas todos sabemos que não é fácil parar de fumar. Quem quer e não consegue sofre bastante. Há que se ter muita determinação e firmeza. Não há dispositivo eletrônico, e provavelmente nunca haverá, que supere a força de vontade das pessoas.

Bemestar

http://g1.globo.com/bemestar/blog/doutora-ana-responde/post/cigarro-eletronico-ajuda-parar-de-fumar.html

 

Compartilhar