Galvão Bueno leva bronca de Jô por ‘elogiar demais’

Galvão Bueno leva bronca de Jô por ‘elogiar demais’

0

Em sua temporada de despedida, Jô Soares dedicou um programa inteiro a entrevistar o narrador Galvão Bueno, que recentemente completou 35 anos de Rede Globo. Entre piadas e goles de champanhe, Jô deu uma cutucada no amigo que, segundo ele, “elogia demais” os treinadores da seleção brasileira – especialmente Dunga. Galvão, então, se defendeu e disse que alguns atletas pararam de falar com ele depois de críticas recentes.

Perguntado sobre quem é o melhor técnico do mundo, Galvão destacou Pep Guardiola, mas também fez elogios rasgados a Tite. “Ele fez com que os jogadores aumentassem sua capacidade de rendimento, e sem nenhuma crítica ao Dunga, que é uma pessoa aplicadíssima no trabalho e um vencedor na vida esportiva…”. Neste momento, Jô Soares interrompeu com uma risada irônica que divertiu a plateia.

Galvão, então, disse que tinha muito respeito por Dunga e Jô rebateu novamente. “Eu já o respeitava como um extraordinário jogador…”, disse, com novas risadas irônicas, antes de citar a derrota para a Argentina na Copa de 1990, que marcou a “Era Dunga”. Galvão, então, voltou a defender o ex-jogador e disse que aquele termo foi uma “grande maldade”. Em seguida, Jô teceu muitos elogios a Zagallo, que, segundo ele, foi um “extraordinário jogador e um técnico maravilhoso”.

Jô, então, pressionou o convidado. “Você não tem medo, um receio, de ter que se desdizer, já que você elogia tanto qualquer que seja o nome do técnico? Por exemplo, o Dunga você cansou de dizer que ele como jogador era um símbolo.” Galvão, então, foi firme na resposta.

”Não, você não me viu fazer tantos elogios assim ao Dunga. Acho que ele tem uma mania de perseguição. Por exemplo, terminava uma coletiva, ele levantava e ia embora, o Tite fica conversando com as pessoas. Os jogadores são basicamente os mesmos, mas percebe-se que jogam hoje com muito mais alegria, então eu não elogio todos os técnicos. Torço muito para a seleção, mas eu dou cada pancada”, disse o narrador. “Eu acho pouco, você podia dar mais”, brincou Jô.

Em tom bastante amistoso, o apresentador voltou a criticar a “benevolência” do amigo. “Você realmente entende muito, muito de futebol. Exatamente por isso as pessoas às vezes acreditam muito no que você fala, e por isso você tem que tomar cuidado quando você faz excesso de elogios a certas pessoas. No caso do Dunga, eu ficava assim: ‘nossa, mas ele não tá vendo?”

Galvão voltou a se defender, fez críticas à CBF e ao presidente Marco Polo Del Nero e disse até que chegou a exagerar nas duras  à seleção brasileira em certos momentos. “Chegamos a um momento em que, com dois empates, se nós tivéssemos perdido o jogo seguinte, teríamos sido desclassificados na primeira fase da Olimpíada. Isso seria o fundo do poço. Talvez até eu tenha exagerado na crítica naquele dia. Fui duro mesmo, para tentar mexer com os brios deles. E se eles ficaram com raiva de mim, ótimo”.

Sem citar nomes, Galvão disse que a relação com alguns atletas está estremecida. “Tem um monte de jogador que não está nem falando comigo, porque bati forte.” Durante a Olimpíada do Rio, o atacante Neymar se negou a dar entrevistas à Rede Globo e foi muito criticado pelo narrador. 

Veja

Compartilhar

Deixe um Comentário