Início Cidades MT: Juiz decreta prisão de estudante flagrado com ecstasy

MT: Juiz decreta prisão de estudante flagrado com ecstasy

0
Compartilhar

O juiz Jorge Alexandre Martins, da 11ª Vara Criminal de Cuiabá, decretou a prisão preventiva do estudante de medicina Rafael Freitas Corrêa da Costa, de 31 anos, preso em flagrante na última sexta-feira (26), com 43 comprimidos de ecstasy.

Rafael foi preso após sofrer um acidente de trânsito. Ele dirigia uma BMW branca, que colidiu com outro veículo na Avenida Isaac Póvoas. Em, seguida ele fugiu.

A PM foi acionada e, em rondas na região central da cidade, conseguiu alcançar o suspeito na Praça Ipiranga.

Os policiais o revistaram e encontraram um envelope plástico com 43 comprimidos de ecstasy em suas “partes íntimas”, segundo o boletim de ocorrência.

De acordo com o tenente Luiz Fernando Lima Façanha da Polícia Militar, o estudante afirmou que comprava a droga em grande quantidade para revender.

“Ele disse que comprava por atacado, uma vez que o preço era menor. Em seguida, repartia com os amigos. Ele vendia cada comprimido por R$ 30”, lembrou.

Audiência de Custódia

A conversão da prisão em flagrante para preventiva aconteceu após o estudante passar por audiência de custódia, no último sábado (27).

O estudante foi representado pela defensora pública Odila de Fátima Santos, que requereu, durante a audiência, a aplicação de medidas cautelares como o uso da tornozeleira eletrônica e o recolhimento no período noturno, sem poder se ausentar da Comarca antes de avisar o Judiciário, mas o pedido foi indeferido.

Segundo o juiz, devido à quantidade de comprimidos encontrados com Rafael, a sua liberdade poderá abalar a ordem pública. Isso porque o jovem é estudante de medicina e frequenta locais de fácil disseminação da droga, “sendo difícil a fiscalização da substância, de modo que sua prisão demonstra necessária para, por ora, cessar sua conduta delitiva”.

O magistrado Jorge Alexandre Ferreira ainda afirmou que o fato de o estudante ter bons antecedentes não é argumento suficiente para colocá-lo em liberdade.

“Diante da gravidade em concreto da ação delituosa, representada pela apreensão de expressiva quantidade de comprimidos da droga conhecida como ecstasy, aliada a excessiva potencialidade ofensiva da substância, o que justifica a necessidade da prisão preventiva para a garantia da ordem pública”.

Ainda conforme o juiz, o fato de o estudante ter tentado fugir do local do acidente em questão e de admitir a venda das drogas ilícitas agrava ainda mais a situação.

“Indefiro o pedido de reconsideração formulado pelo advogado do Autuado, que requereu a concessão da liberdade com a aplicação de medidas cautelares diversas da prisão… uma vez que entendo que as medidas cautelares, no presente caso, demonstram-se insuficientes e inadequadas, ante a gravidade concreta da ação delituosa”, decidiu.

Após a prisão decretada, Rafael foi encaminhado para uma unidade prisional de Cuiabá.

Midia News/Jad Laranjeira