Início Cidades Nilson Leitão recebeu R$ 511 mil de empresas da Lava Jato

Nilson Leitão recebeu R$ 511 mil de empresas da Lava Jato

7
Compartilhar

O deputado federal Nilson Leitão (PSDB) figura na lista de parlamentares que integram a comissão que vai apreciar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e que receberam doações de campanha de empresas investigadas na Operação Lava Jato.

Conforme prestação de contas de Leitão, disponível para consulta no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o parlamentar recebeu, ao todo, R$ 511.550 mil de empresas investigadas em sua campanha, em 2014.

Aparecem como doadoras do tucano, as empresas Galvão Engenharia S.A., que fez uma contribuição de R$ 500 mil, além da Andrade Gutierrez, com duas doações, uma no valor de R$ 5,250 mil e outra no montante de R$ 6,3 mil.

As doações, conforme detalha o site do TSE, foram feitas, primeiramente, à direção nacional do PSDB e repassadas para a campanha do deputado mato-grossense.

Segundo levantamento feito pelo portal UOL, dos 65 deputados federais indicados para comissão, 40 receberam recursos de empresas investigadas pela Lava Jato na campanha eleitoral de 2014.

Ao todo, conforme revelam as prestações de contas entregues ao TSE, foram R$ 8,9 milhões doados aos candidatos à Câmara ou a diretórios dos partidos, que repassaram a campanha do parlamentar.

Em valores atualizados, o montante chega a R$ 10 milhões.

Da bancada de Mato Grosso, integra a comissão, além de Nilson Leitão, o deputado federal Valtenir Pereira (PMDB), que não aparece na lista de beneficiados.

Investigadas

Das empresas doadoras à campanha do deputado Nilson Leitão, a Galvão Engenharia é uma das construtoras denunciadas pelo Ministério Público Federal (MPF), por envolvimento em esquema de corrupção.

O juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações da Lava Jato, condenou à prisão os executivos Dario de Queiroz Galvão Filho, Erton Medeiros Fonseca e Jean Alberto Luscher Castro, ligados a empreiteira.

Eles foram denunciados pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa. O processo apurou crimes em contratos e aditivos da Galvão Engenharia com a Petrobras.

Já o processo em relação a Andrade Gutierrez aponta um esquema de corrupção em contratos e aditivos da empresa celebrados com a Petrobras.

Em janeiro passado, o MPF pediu a condenação de 11 pessoas, dentre elas executivos da empreiteira.

Em fevereiro, o ex-presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Azevedo, voltou a ser preso por ordem de um juiz do Rio de Janeiro que cuida do caso de suposto pagamento de propina por empreiteiras na obra da usina nuclear Angra 3.

A empreiteira se comprometeu a pagar R$ 1 bilhão em multa em um acordo de leniência, uma espécie de delação de empresas. É a maior multa já paga no âmbito da Lava Jato.

Outro Lado

À reportagem do MidiaNews, Leitão afirmou que as doações não podem ser “demonizadas”.

Segundo o parlamentar, o sistema eleitoral brasileiro permite as doações de empresas e os valores recebidos por ele são fruto de dinheiro declarado.

“O dinheiro doado para campanha é dinheiro de caixa 1, dinheiro lícito, declarado. O que não pode, na minha avaliação, é deputado envolvido na Lava Jato participar da comissão. Agora ter recebido doação não vejo qualquer dificuldade”, disse.

“As empresas envolvidas na Lava Jato são as maiores empresas do Brasil, que estão em todas as obras. De fato, elas se envolveram em um esquema de corrupção do PT, mas isso não quer dizer que estão envolvidas em outros esquemas. As mesmas empresas que se envolveram em esquemas também geram emprego, renda, convênios com bancos de estados, contratos no Brasil e fora do Brasil. Uma coisa não tem nada a ver com a outra”, afirmou.

Ainda segundo Leitão, o fato de deputados que integram a comissão terem recebido valores de empresas investigadas não coloca em xeque o trabalho do grupo.

“Acredito que dentro dos deputados que compõem a comissão, algum vai aceitar fazer lobby para alguém, votar de acordo com um eventual pedido de alguma empreiteira. Não tem espaço para lobby dentro dessa comissão de impeachment. Não vejo prejuízo aos trabalhos”, concluiu.

(com informações Folha de S. Paulo e UOL)

Compartilhar

7 COMENTÁRIOS

  1. Sabe o que é engraçado neste site do mtnoticias… eles colocam isso sempre pensando em prejudicar a candidatura do Ari… voces deveria então dizer o seguinte mesmo recebendo dinheiro de empresas da lava jato Nilson leitão não concorda com a robelheira e quer a dilma fora… agora colocar materia dizendo que o Prefeito e o Mauro pediram votos a esses ladroes vcs nao colocam né site comprado…

  2. E AGORA O POVO AQUI DE SORRISO QUE SE DIZIA UM BLOCO DE PESSOAS SERIA ,,,QUE NAO ERA ,QUALQUER UM QUE IA SE AFILIAR NO PSDB NILSON LEITEIRO ,LARAPIO DE MAO CHEIA , E O ARI LANOFIM ,, ME DIZ O QUE ,,,, AGORA EU LHE DIGO ARI LANOFIM,QUEM MISTURA COM PORCOS FARELO COME ,,,,

  3. E ai povo de Sorriso…? Cadê a banda honesta? Heheheh fala… Bora alguém defende o Maior implementados.de.emendas tá sendo cotado…cadê os lances

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here