Início Cidades Nova Ubiratã: Secretaria de Saúde realiza mutirão e zera fila de espera...

Nova Ubiratã: Secretaria de Saúde realiza mutirão e zera fila de espera por consultas oftalmológicas

0
Compartilhar

Mais de 250 moradores de Nova Ubiratã participaram, entre os dias 02 e 03 (terça e qurta-feira) de março, do primeiro mutirão de consultas oftalmológicas do município.

O projeto idealizado em conjunto entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Associação dos Servidores Públicos do Centro-Norte Mineiro (Asfenorte) conseguiu eliminar a fila de espera dos pacientes que aguardavam pelo atendimento do Sistema único de Saúde (SUS).

Ao todo 16 profissionais participaram efetivamente do mutirão, desses 08 foram cedidos pelo próprio município, sendo 04 enfermeiros, 02 técnicos em enfermagem e 02 auxiliares administrativos.

Já a Asfenorte colocou á disposição da secretaria de saúde 01 médico oftalmologista e 07 auxiliares de oftalmologia que atuaram na triagem dos pacientes, estes previamente selecionados mediante encaminhamentos médicos.

Uma das novidades do mutirão foi o horário diferenciado de atendimento, feito das 09h00 ás 20h30, respeitando a ordem de chegada e de preferencia, no caso das gestantes, idosos e deficientes físicos.

“Estamos muito satisfeitos com o resultado desse trabalho, sozinho o Estado não daria conta de atender todos os pacientes,  já que a fila de espera poderia chegar a até 02 anos”, comemorou a Secretária Municipal de Saúde Eliane Roman Ross.

Compra dos óculos – Além da realização dos exames oftalmológicos a associação será responsável em facilitar a compra dos óculos, que podem ser adquiridos de forma parcelada a partir de R$ 150 reais. No caso dos moradores de baixa renda a compra será feita pelo próprio município, através do Conselho Municipal de Saúde que aprovou um repasse de ajuda de custo.

Cirurgias corretivas – Nos últimos meses a Secretaria de Saúde de Nova Ubiratã realizou 20 cirurgias de cataratas, 01 de descolamento de retina, além de 03 exames de Yag Laser, indicado para o tratamento de opacidade capsular, comum em pacientes que foram submetidos a cirurgia de cataratas.

“Quatro dessas cirurgias custaram cerca de R$ 19 mil reais aos cofres públicos, e apesar de não serem de responsabilidade do município foram feitas porque os pacientes corriam risco de perder parcialmente ou totalmente a visão”, finalizou a secretária.

Compartilhar

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here