Início Editorias Polícia Sorriso: GCCO passa também a investigar defensivos apreendidos; delegado passa detalhes

Sorriso: GCCO passa também a investigar defensivos apreendidos; delegado passa detalhes

1
Compartilhar

A  Policia Civil do estado do Mato Grosso  continua  investigando o caso dos cerca de R$ 30 milhões de  defensivos  agrícolas  que foram apreendidos em um barracão a cerca de 15  dias no bairro Industrial, em Sorriso.

O delegado da PC, Dr. Pablo Borges  esta a  frente  das  investigações e  informou que várias  pessoas  já  foram identificadas  e ouvidas. Borges disse  existir  vários indícios  que os crimes podem ter sido  praticados  por empresas  do município. Essas empresas aplicavam golpes passando cheques  sem fundo ao adquirir  os defensivos.

A partir  de  agora  a  gerência  de  combate  ao crime  organizado(GCCO), passa  atuar  também nas investigações.

O  delegado pediu a imprensa que  neste primeiro momento  não divulguem  os  nomes das empresas e pessoas supostamente envolvidas, para assim evitar  qualquer tipo de  comprometimento nas  investigações, mas  segundo Dr. Borges, são 04 as  empresas envolvidas(duas de Sorriso, uma de  Sinop e uma do estado do Pará).

Nos primeiros levantamentos, estas empresas  menores compravam  produtos  de uma  “grande  empresa”, que seria a única  que possuía a autorização para revender  aquele ou aqueles  determinados produtos e passavam cheques  com valores vultuosos na aquisição. Porém ao tentar ser compensados os cheques  eram sem fundo(não havia dinheiro em conta). Quando a  empresa  credora representava os compradores   judicialmente, estas empresas que adquiriram não tinham mais  capital para  saldar a divida, e o defensivo já havia sido repassado a  frente, onde intermediários revendiam a produtores  rurais.

Este intermediários se  utilizava de uma  empresa  que atua no comércio de  imóveis na cidade de Sorriso. Para facilitar as  vendas  aos produtores, a empresa de imóveis  recebia em  troca  dos defensivos, terrenos, carros e até  avião.

Segundo o delegado Pablo, terrenos que tem valor de R$  100 mil, eram  supostamente recebidos  pelo valor de R$  200 mil,  o que causou  uma certa  estranheza, pois esta caracterizando nesta ação uma  suposta lavagem de dinheiro, e que  serão  revelados  em breve.

A polícia civil  conseguiu mapear  a movimentação de cerca  de R$ 30 milhões, mas poderá  chegar  a vultuosa cifra de R$  100 milhões.

Um outro ponto que o delegado Borges  destacou  foi o fato de uma empresa ter a  movimentação de  milhões, sendo que em seu  contrato social  vale apenas R$  4 mil e, de  os  sócios aparentam ser pessoas  humildes e que até agora não foram localizados. A principio  seriam supostos  laranjas.

Duas  empresas compareceram  na DP e apresentaram notas fiscais dos produtos apreendidos, sendo a mesma, que neste caso é  mais  um ponto que levanta suspeita, disse Dr. Pablo.

As  investigações  terão novos  desdobramentos e que  serão  repassados  assim que possível garantiu o delegado d apolícia civil de Sorriso.

As opiniões postadas nos comentários não representam a opinião do site. Comentários ofensivos poderão ser excluídos ou moderados.

1 COMENTÁRIO

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here