Sorriso: UPA sofre com redução de atendimentos no Hospital Regional

Sorriso: UPA sofre com redução de atendimentos no Hospital Regional

6

O diretor técnico da Unidade de Pronto Atendimento Sara Akemi Ichicava, Ailton Cesar Brizante, detalhou nesta manhã (25) as conseqüências sofridas pela UPA devido à paralisação parcial no atendimento ofertado pelo Hospital Regional de Sorriso. Entre os itens listados por Ailton estão a demora no atendimento e o aumento expressivo da demanda de especialidades como ortopedia; clinica cirúrgica, inclusive com pós operatório; pediatria e obstetrícia.

A UPA de Sorriso é uma unidade de Porte I, cadastrada para atender municípios de 50 mil até 100 mil habitantes com capacidade para realizar até 150 atendimentos médicos/dia, com dois médicos de plantão. Contudo, hoje a unidade local realiza em média 250 a 300 atendimentos/dia. Para atender essa realidade, é necessário dispor três médicos de plantão 24 horas, além de um quarto profissional no horário de pico, das 18h às 22h.

“A UPA é o estabelecimento de saúde de complexidade intermediária entre as unidades básicas de saúde e a rede hospitalar. Não é uma unidade hospitalar, não temos serviço de nutrição, nem estrutura física com elevado número de leitos, então, até o momento, pacientes de urgência e emergência ainda estamos referenciando para o HRS”, explica o diretor. Não há informação de até quando o HRS continuará recebendo esses pacientes.

Ailton salienta ainda que antes de diminuir os atendimentos foi firmada uma parceria com o HRS e disposto serviço de ortopedista na UPA para atender os serviços de baixa e média complexidade para desafogar o atendimento do Regional. Na prática, essa medida levou a diminuição de 57,28% dos casos do setor de ortopedia do município de Sorriso antes atendidos no HRS, de acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde.

Segundo o diretor, além de ter aumentado a demanda local, a Unidade teve um aumento significativo no atendimento de usuários residentes em outros municípios da região. A estimativa é que 25% a 30% dos pacientes atendidos hoje são de outros locais. “Não temos como negar atendimento”, pontua.

Atendimentos

Em julho 5.558 usuários foram atendidos na UPA, destes, apenas 272 foram encaminhados ao HRS, a resolutividade dos casos na própria UPA no período chegou a 95,10%. Já em agosto foram 5.871 atendimentos com 325 encaminhamentos ao HRS e 94,46% de solução. Agora em setembro, foram 6.793 atendimentos, destes 327 usuários foram referenciados para o Regional. 95,18% dos casos foram resolvidos na UPA.

MTnoticias.net com assessoria

Compartilhar

6 COMENTÁRIOS

  1. Essa é mais uma manobra da atual Secretaria de Saúde, prefere denegrir a imagem do Hospital Regional do que assumir que a atenção básica esta uma m… Os funcionarios do Regional só tem a agradecer a paralisação dos médicos, pois agora o Pronto Socorro do Hospital está fazendo o que tem que fazer de verdade: deixar de atender consultas basicas, unha encravada, dor de cabeça, dor de barriga, trocar receitas e outros atendimentos que é de competencia dos postos de saúde. Sabe-se muito bem que enquanto os medicos e enfermeiros ficavam na upa de perna pra cima, os funcionários do Regional mal tinha lugar pra por os pacientes. Agora sim… cada um fazendo seu papel, então parem de choramingar e mentir.

  2. NUNCA ATENDEM PACIENTES DE FORA MESMO QUE ELE MORE NA FAZENDA AQUI DA REGIÃO TEM QUE IR NO REGIONAL,NÃO SEI COMO MENTEM ASSIM SÓ AQUI EM SORRISO MESMO SENDO QUE O UPA E SUS E TEM OBRIGAÇÃO DE ATENDER TODO MUNDO.

  3. MENTIROSOS O UPA NUNCA ATENDE PESSOAS DE OUTROS MUNICIPIOS,SEGUNDO ELES TEM UMA LEI MUNICIPAL QUE OS PROIBE DE ATENDER FALEMMMM A VERDADE…..

  4. NÃO É NADA DISSO, ESTÃO ACABANDO COM HOSPITAL REGIONAL, PROCURA NO YOUTUBE ONDE TEM UMA REPORTAGEM DA DIRETORA DO HRS, OU SEJA, O CONSÓRSIO FOI PRA SINOP, OU SEJA, EU, VC E TODA A POPULAÇÃO DE SORRISO TEMOS QUE PEGAR NOSSOS CARROS OU UM ONIBUS E IR ATÉ SINOP.

    • Grande bobagem. Os atendimentos no Hospital Regional de Sorriso, assim em outras unidades de saúde espalhadas pelo estado, estão suspensos pelo fato do Sr governador Pedro Taques estar promovendo um grande calote nos salários dos servidores estaduais e sem salário meu amigo,não há como sobreviver. Isso não tem nada a ver com o atual prefeito ou o recém eleito e sim, com a irresponsabilidade de um cara que auto se intitula”legalista”. A deficiência na saúde é somente mais uma de tantas. Já vimos a greve da educação e não tarda, teremos essas paralizações também na Segurança Pública.

  5. Isso é sinal de que os PSF não estão funcionando da maneira correta. Essa não é a primeira vez que o UPA atende 300pcts/dia isso ja ocorreu outras vezes e o hospital regional estava funcionando normalmente.
    Agora sim o Pronto Socorro do HOSPITAL REGIONAL esta funcionando como um PRONTO SOCORRO pois muitas vezes tinha pcte que ia la com dor de dente unha encravada ou ate mesmo aqueles para trocar receitas pq no PSF nao conseguia trocar devido nao ter vaga para atendimento.

Deixe um Comentário